Um morcego que lê, escreve e ensina

Compartilhe este post

1bf6d149-0b66-433b-8237-6c8a36ed3d77BatPat_Tesouro_W221As crianças me apresentaram a Bat Pat: um morcego escritor que, durante uma fuga espetacular e perigosa, acabou sendo salvo por três irmãos – com idade entre 8 e 10 anos. A “saga” de Bat Pat é escrita pelo professor italiano Roberto Pavanello e começou com Bat Pat – O tesouro do cemitério, lançado pela Fundamento, em 2009. Em meio a histórias divertidas de mistério, se aprende um pouco de História, Geografia e até Biologia, a depender do volume – já são 11, de acordo com o site da editora.

Já no início de O tesouro do cemitério, o morceguinho se apresenta como autor de livros de suspense – “aqueles que falam de bruxas, fantasmas, cemitérios… histórias de arrepiar ! Mas tenho de confessar um segredo: na verdade, eu sou um grande medroso!”. Por isso, cada vez que se vê em apuros, ele solta a mesma frase – ” Ai, que medo medonho !” – , que, ao menos aqui em casa, faz o maior sucesso em nossas sessões de leitura.

Ao longo da narrativa, Bat Pat vai revelando outros mistérios. Aprendeu a falar quando morava em uma biblioteca – “à tarde, o bibliotecário lia em voz alta para as crianças. Era muito bom !” – onde também aprendeu a escrever:

“A coisa mais difícil, porém, foi convencer os três de que, além de falar, eu sabia escrever (sempre por mérito daquele velho bibliotecário) e que escrevia justamente…. histórias de terror”

Com um média de 100 páginas, os livros são recomendados para crianças com idade entre 8 e 11 anos, mas o Lucas desde os 6 já os curtia , sobretudo quando eu  os lia em voz alta.

Ao final de cada volume, jogos e curiosidades ajudam a fixar os temas que permearam cada uma das aventuras dos personagens. Para quem gosta de mistério com humor, eis uma boa pedida.

 

 

Deixe uma resposta