Um dente, uma jornalista e a manchete perfeita

Compartilhe este post

Estou no meio de um evento acadêmico quando o celular toca. Do outro lado da linha, a enfermeira da escolinha do Lucas me avisa que ele perdeu um dente. Até aí, nada demais, certo ? Errado. Ao chegar na  escola fico sabendo que se tratava de uma expressão literal: o menino estava brincando no bosque e o dente sumiu. Simples assim. Pergunto ao pequeno:

– Mas você não lembra como foi, Lucas ?

– Não, mãe.

– E como você notou que estava sem o dente ?

– Eu  fui mexer na minha boca e senti o buraco.

Claro que esta foi A história da sexta-feira. O dente do Luquinhas desapareceu e as professoras até procuraram no tal bosque, mas não encontraram vestígios do dito-cujo.

Ouvindo aquilo Juju, que é a editora, diagramadora, repórter e ilustradora do Jornal DumDum – periódico com edição semanal e circulação ampla e irrestrita – não pensou duas vezes antes de exclamar:

– Pronto, já tenho a manchete desta semana: “O dente que sumiu” !

Com todos os argumentos acadêmicos possíveis, tentamos demovê-la, afinal aquela manchete seria, digamos, sensacionalista.  Disse que o mais adequado seria algo como “Lucas perde dente em bosque do NDI”. Ela não queria saber de conversa. Protagonista, Luquinhas tentou intervir:

– Escreve  “um dente que fugiu” , Juju.

Desisti de argumentar. Temia que acabassem descobrindo que a manchete perfeita poderia ser ” Um dente que cai”.

2 comentários em “Um dente, uma jornalista e a manchete perfeita

  1. Oi Tati, adorei o teu blog, acabo de descobrí-lo por meio do facebook, sou novata nessa ferramenta e estou adorando, reencontrei amigos e falo com pessoa assim como você, que pouco vejo e curto muito. abração. Simone Bobsin

Deixe uma resposta